uau.
definitivamente um dos filmes da minha vida.

9 comentários:

Anônimo disse...

odiei, saí a meio, o filme é uma m...

Rafael Stuart disse...

m....aravilha? oq odiaste exactamente? o melhor do filme é o argumento tss tss devias ter lido o livro ate ao fim!

Anônimo disse...

um livro é um livro,
teatro é teatro e um filme é um filme.

aquilo é apenas um refinado exercicio de suposto vanguardismo cinematrográfico, que a critica aplaude porque vem de quem vem, do Sr. Lars Von Trier

há certos realizadores que se tornam de tal maneira vedetas, que nenhum critico consegue afrontar, na verdade a critica europeia adora estas singularidades a transbordar de qualquer nova merdinha

por outro lado gostei do filme Breaking the Waves, contudo menos pela realização e mais pelo argumento

Anônimo disse...

O Ridley Scott é que é um realizador a sério, não tem pretensões pseudo-intelectualóides

Rafael Stuart disse...

hmmm, esses comentarios vieram do mesmo anónimo? espero que não!
adorei o argumento do dogville, e acho que tem tanta força que nao precisa de ter cenario 3D, genuinamente! E se aquilo é teatro, viva o teatro filmado!

Tb gostei do Breaking the Waves porque me perturbou pela intensidade, mas precisou de um cenario 3D e diz me mais a limpeza do dogville do que aquele furacao sensual fatalista!

Nao estou bem a ver de onde vem o RIdley Scott mas tendo feito cenas tao diferentes como o Blade Runner e a G.I Jane, adorava saber que pseudo-intelectual o mencinou e com que preferencia :p

Anônimo disse...

na verdade, já se esperaria que gostasses deste filme, quem gosta do bailado A sagração da Primavera....

Rafael Stuart disse...

=) facto!

Anônimo disse...

para compor o ramalhate só falta dizeres que gostas do James Joyce,
vá diz lá


"eu adoooooro O Ulisses, é um livro super intelectual, é mesmo o meu género..."

Mami disse...

oh nunca li nada do j.joyce mas ele tb nunca leu nada meu, por isso estamos quites!