Se isto é Lisboa queremos ir
11.10.2008, Kathleen Gomes no Publico

A Weird and Wonderful Guide to Lisbon é a prova de que às vezes não conhecemos a nossa própria cidade. Por isso, um guia talvez venha a calhar.
Que cidade tem pousadas e hospedarias low-cost que estão "entre as melhores do mundo"? Um sapateiro que já foi campeão de corridas de automóveis? Uma loja para donas de casa desesperantes com um terraço de cortar a respiração? Que cidade nunca dorme (pelo menos, ao fim-de-semana)?Não sabemos, mas queremos ir.A Weird and Wonderful Guide to Lisbon é a prova de que às vezes não conhecemos a nossa própria cidade, por isso um guia talvez venha a calhar. Tem esse nome, que podia ser um título de Tim Burton - "um estranho e maravilhoso guia de Lisboa" -, porque não é um guia como os outros. Começa com a luz de Lisboa, e a melhor hora para apreciá-la (o lusco-fusco) e acaba com o Dr. Freud a falar sobre a vida com Fernando Pessoa (isto é, com a sua estátua) no Chiado. Um guia convencional reproduz o mapa do metropolitano, este subverte-o: a estação do Intendente torna-se Inside Deep Throat, a Alameda vira IURD Empire, Bela Vista é Ugly View, Oriente é Futurama, Sr. Roubado é Mr. Stolen. Um guia convencional faz tudo para que encontre o caminho, este sabe que conhecer uma cidade é também perdermo-nos nela (sem se esquecer de sugerir becos e vielas).O Guardian disse tudo: É "o guia para as pessoas que não gostam de guias".Da próxima vez que um amigo estrangeiro estiver de visita, podem fazer uma de duas coisas: oferecer-lhe o Weird and Wonderful Guide to Lisbon ou ficar com o guia e fazer um vistaço, mostrando-lhe a cidade que vem aqui. Foi para isso que ele nasceu, resume a editora Joana Pinto Correia: para as pessoas aproveitarem o melhor da cidade "sem estarem sempre a perguntar". Decidir o que fazer numa cidade pode ser difícil e os guias por vezes têm costela de páginas amarelas: são omnívoros, quando o que queríamos era um filtro de confiança. A Weird and Wonderful Guide to Lisbon é escrito por insiders, gente que vive em Lisboa, e isso nota-se (o tal mapa do metropolitano é o Código Da Vinci da cidade, que nenhum turista decifrará). "É o que toda a gente quer de um guia: não a informação completa, mas o que vale a pena", diz Joana Pinto Correia, que em Janeiro escreveu sobre Lisboa para o britânico The Observer. "E aquelas pequeninas coisas que fazem uma cidade diferente."Qual Torre de Belém?Sem ser exaustivo, A Weird and Wonderful Guide to Lisbon tem as costas largas; é seleccionado mas não selectivo, e saudavelmente todas-as-tendências, dos albergues low-cost aos hotéis de design, dos hotéis com pedigree aos gay-friendly, da suite presidencial do Sheraton (?3000 por noite) à Residencial Alegria (?43), onde também dormem homens de fortuna (como o fundador da IKEA, conhecido por ser um senhor poupado), das tascas aos menus de degustação a 85 euros, dos vegetarianos às marisqueiras, do Lux à feira do Relógio, do tremoço à ginjinha, de Lidija Kolovrat ao sr. Acácio de Pina Coelho. Tudo isto existe, tudo isto é Lisboa: cara e barata, urbana e tradicional, alternativa e de fato e gravata. Sem nunca mencionar a Torre de Belém. "Mostra tanto o genuíno mais genuíno até ao hype do momento", resume Joana. Descomplexado, portanto. Se calhar é isso que é ser cool."Quisemos dar espaço às coisas que não cabem habitualmente nos guias. Um turista passa pelo senhor do adeus e não percebe que ele é uma instituição da cidade." Nota de redacção: o "senhor do adeus" é o homem que acena aos automóveis, todas as noites, na Praça do Saldanha.É um guia diferente porque tem pessoas lá dentro (pensando bem, essa é a maior ausência nos guias habituais). Que não é ortodoxo salta logo à vista: grafismo irreverente, coloquial (sim, coloquial, aqui até o grafismo trata toda a gente por tu), textos espirituosos (e não engraçados), com timbre de crónica nos seus melhores momentos....

3 comentários:

Rita disse...

wawwww... amei onde posso arranjar este guia p dar a uns amigos meus espanhois...que vao ai em novembro????
by the way a carmo ainda ta cá em barcelona?????

O Meu Outro Eu Está a Dançar disse...

:) ehh! revolution!

Carlos disse...

Sim, sim, onde se pode comprar?