como desvendar um emigrante portugues?

Acho que seria uma tese muito interessante esta. Não consigo percebê-los. Quando o Tony Carreira vai ao Olympia, eles enchem a maior sala de Paris dois dias seguidos. Quando pisam o solo português, esquecem a lingua. Quando são pequeninos não respondem ao viens ici, mas quando o pai ou mãe diz, anda ca porra, correm com toda a rapidez.Porquê? Porquê? A minha essência africana, não so enquanto representante da monarquia angolana, faz com que tenha uma certa tendência a mostrar-me enquanto tal(africano) e a querer identificar-me. Mas parece que o emigrante sofre um eterno paradoxo de identificação. Hoje quase gritei p... car... para de fazer essa m... a um filho de portuguesa que vai todos os anos de férias a Portugal mas não sabe dizer bom dia em português. Alias, fala a nossa lingua pior que qualquer aluno francês. Mas contentei-me por dizer, para de fazer essas parvoices, que sei muito bem que entendes o que estou a dizer. Devo confessar-vos que não fiquei nada surpreendido, quando ele e a prima, perceberam muito bem o que eu tinha dito (e no entanto não falam português).
Eu acho que aliado ao plano da incentivação à leitura, o Socrates tb devia criar um plano para a afirmação da identidade. Embora deva reconhecer que as espécies que vejo aqui são algo envergonhates.
Quem fingir que não é português ( quando normalmente, a 5 Km de distância, com os olhos fechados conseguimos identificar os berdadeiros) paga mais impostos.
E tenho dito! Lidar com porcos chauvinistas(franceses) que também têm o seu quê de bimbalhada e com bimbalhada armada em porcos chauvinistas é demais !!

Um comentário:

squander time disse...

Meu caro Madume Ayala permita-me que lhe endereça os meus mais sinceros comprimentos e felicitá-lo por este grande dia para a nação Africana. Faz hoje exactamente trinta anos que se assistiu a um movimento de jovens Sul-africanos contra uma medida insensata de tornar o Afrikaans a língua oficial nas escolas de negros. A reacção do governo foi a pior possível e milhares perderam a vida, mas aquele dia, hoje feriado nacional youth day, foi o princípio do fim do Apartheid.
A defesa da língua dos seus pais foi o caminho para a liberdade.