Mistérios da madrugada

São 3h da manhã e estou a sofrer mais uma crise de insonias.
O quarto esta cheio de insectos estranhos que começam a dançar freneticamente cad vez que acendo a luz. Porque é que não consigo dormir?
Porque sou um eterno ser angustiado que sofre com os seus problemas, os do mundo e os dos insectos que adoram tocar a lâmpada do candeeiro a escaldar.
Não consigo dormir porque esta cama de hospital( é, literalmente, uma cama de hospital apesar de eu não estar internado) começa a levantar com os meus movimentos nocturnos e quando dou por esla ja estou quase sentado.

Pus o colchão no chão para ver se durmo umas horitas na horizontal.

São 3h da manhã. Lembro-me que no filme "O exorcismo de Emily Rose" dizem que as 3h da manhã são a hora do diabo. E nesse momento todos os demonios estão em plena acção. Começo acreditar. Nesta aldeia perdida, às 3h da manhã os grilos e outros insectos barulhentos começam a "murmurar", murmurio esse que se vai intensificando à medida que o sol (e o meu sono) se vai aproximando. Quando ele nasce de vez, é a vez do raio do passaro preto de bico laranja começar o seu turno. Porra para o canto dos passaros ao nascer do dia, porra para a natureza. Logo agora que eu começava a ter sono, o estupido- que deve ser a reencarnação de um artista falhado- começa a fazer umas batidas irritantissimas mas bem marcadas pelo ritmo regular. Mesmo com os tampões nos ouvidos, consigo ser invadida por uma enorme vontade de o estrangular.
E quando começo a pensar que pior não podia ser, é a vez do cortador de relva interromper definitivmente o meu sono. Eu acho que o homem que o conduz quis ser um Rossi, mas na falta de melhor... corta relva no mesmo sitio todos os santos dias.
Mas bom, poderia ser pior. Eu poderia ter nascido mulher na India, na China, no Sudão ou ser uma executiva de topo nos Estados Unidos.

Nenhum comentário: